Close

LOLA NIGHTSHADE | MORTIFERUM

> Lola Nightshade | Mortiferum > performance _ 

instagram.com/lolanightshade

Criatura de duas facetas metamorfas. Aquela que se aproxima do humano e a besta. Expressão da psiqué  própria na dualidade da contensão e da explosão. O homem é o lobo do homem. O ambiente social comum é o que acorrenta e aprisiona a fera que é guardada do lado de dentro e, por meio destas transformações, o artista expressa a máscara de passividade e submissão ao coletivo em oposição a libertação dos sentimentos e pensamentos mais íntimos, outrora acorrentados. Com a apropriação de diversas formas, cores, texturas e formas de expressão corporal, mescla a leveza e o peso do fardo de ser, que, mesmo descarregado, deixa suas sequelas comportamentais e físicas do tão longo enclausuramento.

A Drag Queen/Monster criada em 2016 recebe vida por meio do corpo do artista curitibano Luiz R., que iniciou as vivências no meio artístico durante a infância e adolescência com cursos de teatro, dança e circo, além dos conhecimentos adquiridos posteriormente nas áreas do design, moda e maquiagem. Lola surgiu após um hiato da vivência nos palcos como um modo de unir a experiência toda numa forma de expressão única. Mortiferum surgiu de forma orgânica no início de 2018 a partir de experimentações estéticas e conceituais como uma nova forma que Luiz encontrou para expressar a própria arte de uma maneira mais profunda e livre metaforicamente e literalmente.

O artista já realizou performances em eventos da Redoma em Curitiba e Maringá, no Elements of Life Festival, Serialism, Eu Não Sou Obrigada a Nada, Orgulhosa, além de festas universitárias e aberturas dos shows das drag queens e cantoras do cenário nacional, como Kaya Conky e Aretuza Lovi.

_________________________

Creature of two metamorphic facets. One close to human and the other: a beast. Expression of its own psyche in the duality of restrainment and burst. The common social environment chains and ties down the creature we all hold deep within ourselves. Throughout these transformations the artist is able to express the passivity mask submissive to what is socially acceptable in opposition to the release of the innermost thoughts and feelings, once imprisoned. By the appropriation of different shapes, colors, textures and forms of body language, intertwines its weightlessness and the heaviness of the burden of just being, which, even after released, leaves behind thy physical and behavioral sequels from so long enclosure.

The Drag Queen/Monster, created in 2016, comes alive through the body of the artist from Curitiba, Luiz R., who began his artistic experiences during childhood and adolescence with courses in theater, dance and circus, as well as the knowledge acquired later in design, fashion and makeup art. Lola emerged after a hiatus from the stages as a way to unite the whole experience in a unique form of expression. Mortiferum came up naturally in early 2018 after aesthetic and conceptual experimentations as a new, deeper and freer way for Luiz to express his art metaphorically and literally.

The artist has already performed at Redoma events in Curitiba and Maringá, Elements of Life Festival, Serialism, Eu Não Sou Obrigada a Nada, Orgulhosa, as well as college parties and openings for the show of drag queens and singers from the national scene, like Kaya Conky and Aretuza Lovi.



________

> fotografia > Fernando Helfenstein > Eudig > Mel Gabardo > Victor Zuchelli _

________

redomagencia@gmail.com

Golddome • 12/03/2018
  • Agency